Fechar menu lateral

Flora e Fauna

Flora

flora_jardim_Botanico_UFJF__FOto_GessicaLeine_UFJF

Jardim abriga diversas espécies nativas e ameaçadas de extinção da flora brasileira (Foto: Géssica Leine/UFJF)

A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos e importantes do mundo. Estima-se que nela existam cerca de 20 mil espécies vegetais – 35% das espécies existentes no Brasil, aproximadamente -, incluindo diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção. Nesse grande bioma, localiza-se o município de Juiz de Fora, onde o Jardim Botânico integra um dos últimos refúgios de Floresta Atlântica localizados na região urbana do município, a Mata do Krambeck.

 

Os trabalhos de levantamento florístico, aqueles que se preocupam em conhecer as plantas existentes em um local, já identificaram mais de 500 espécies vegetais, no Jardim, com destaque para as famílias botânicas Fabaceae, Melastomataceae, Rubiaceae, Solanaceae e Bromeliaceae.

 

Observam-se no Jardim Botânico, espécies importantes e de larga distribuição na Floresta Atlântica, como o pau-jacaré – Piptadenia gonoacantha (Mart.) J.F. Macbr, e o angico – Anadenanthera colubrina (Vell). Brenan. As duas são abundantes no local devido às técnicas de manejo adotadas no passado, quando essas espécies foram mantidas ou plantadas para realizar o sombreamento no cultivo de café que anteriormente existia no local.

 

Também são encontradas, em todo o Jardim Botânico, árvores conhecidas tradicionalmente como pimenta de macaco – Xylopia sericea A.St.Hil, cujo fruto é utilizado como tempero por populações indígenas e quilombolas.

 

Ocorre ainda em toda a área, mas principalmente nas regiões de maior umidade do Jardim, a Palmeira Jussara – Euterpe edulis Mart., espécie que sofre exploração predatória constante e está inclusa na lista de ameaçadas de extinção da flora brasileira, juntamente com o pau-brasil – Paubrasilia echinata (Lam.) Gagnon, H.C. Lima & G.P. Lewis) e o ipê roxo – Handroanthus impetiginosus (Mart. ex DC.) Mattos. Tanto o pau brasil quanto o ipê roxo estão presentes no Jardim – o que demonstra a importância e o potencial para a conservação deste remanescente florestal.

 

Nesse grande contexto, é seguro afirmar que o Jardim Botânico da UFJF fornece benefícios ambientais, socioculturais e econômicos para toda a população de Juiz de Fora e região. São exemplos dessa contribuição: abrigo para a fauna, desenvolvimento de processos ecológicos, estabilidade do microclima, interceptação de chuvas, manutenção das nascentes e melhoria da qualidade de vida local, favorecendo a conservação da diversidade local e dos sistemas populares de conhecimento, ou seja, da sociobiodiversidade.

Fauna

7__Foto_onca_pintada_jardim_botanico_UFJF__Foto_de_Pedro_Nobre_UFJF__30042019__7980

Rara e ameaçada de extinção, onça-pintada aparece no Jardim Botânico e caminha pela entrada de visitantes (Foto: Pedro Nobre/UFJF)

Uma onça-pintada foi registrada, em vídeo, no Jardim Botânico na noite do dia 25 de abril. Desde então, o local ficou temporariamente fechado para visitação. A UFJF e diversos órgãos ambientais e de segurança mobilizaram-se em torno do caso para garantir o melhor desfecho para o animal e para a população. O felino foi ainda filmado em frente a um hotel, na Avenida Brasil, em ruas de bairro e em mais localidades.

 

Para evitar riscos de atropelamento e de caça e para ofertar mais condições de reprodução da espécie e segurança, a onça foi capturada na noite do dia 12 de maio e reintroduzida em área florestal mais ampla e segura, em Minas Gerais. No novo espaço, há possibilidade de contribuição para a continuidade da espécie, pois existem há três fêmeas e um macho no local.

 

Um dos símbolos da fauna brasileira, a onça-pintada (Panthera onca) é o maior felino das Américas e está ameaçada de extinção. Pelo menos há 80 anos não há registro oficial do animal na Zona da Mata Mineira, conforme estimativa inicial do professor Artur Andriolo, do Departamento de Zoologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFJF.

 

Leia abaixo as principais notícias publicadas sobre o assunto e veja aqui a galeria de fotos da onça-pintada.

onça_pintada_jardim_botanicoufjf__foto_pedro_nobre ufjf

Exemplar é um jovem adulto de estimados 4 anos de idade e 51,6 kg (Foto: Pedro Nobre/UFJF)

 

3 de junho
Equipe divulga informações e fotos de pegadas de onça-pintada em novo local

 

16 de maio
Equipe doa 13 galinhas a dono de galinheiro atacado por onça

 

13 de maio
Onça macho, com 51kg e 1,81m, é transferida para área de proteção ambiental

 

11 de maio
Equipe instala 4 armadilhas de caixa para tentar capturar onça

 

9 de maio
Onça-pintada e Jardim Botânico inspiram professoras do Ensino Fundamental

 

9 de maio
‘Armadilha de laço é a mais rápida’, diz professor que capturou mais de 100 onças

 

8 de maio
Equipe ganha reforço e instala mais três armadilhas para capturar onça

 

8 de maio
Onça: comissão esclarece dúvidas de comunidade; veja as respostas

 

7 de maio
Onça é avistada na Zona Norte; trabalhos de captura continuam

 

foto onça pintada jardim foto prof pedro nobre ufjf

Onça na nova área florestal onde foi reintroduzida em Minas Gerais (Foto: Pedro Nobre/UFJF – 13.5.2019)

6 de maio
UFJF realiza reunião com Igreja onde onça foi avistada


4 de maio

Primeira noite: armadilhas já estão em funcionamento; entenda como são acionadas

 

3 de maio
Equipe inicia instalação de duas armadilhas para capturar onça

 

2 de maio
Onça-pintada: operação recebe apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente

 

2 de maio
Bolsistas do Jardim Botânico orientam população do entorno da Mata do Krambeck

 

1º de maio
Comissão anuncia decisão de capturar e transportar onça para área ampla e segura

 

1º de maio
Pesquisador registra novas fotos de onça; e mais profissionais chegam a JF nesta quinta, 2

 

30 de abril
Comissão avalia alternativas para segurança de moradores e onça-pintada

 

29 de abril
Novas imagens registradas por equipe apontam sexo de onça no Jardim Botânico

 

27 de abril
Onça: equipe monta armadilhas fotográficas no Jardim Botânico, e especialistas se reúnem

 

26 de abril
Onça é avistada no Jardim Botânico, e UFJF fecha área temporariamente