(Foto: Twin Alvarenga)

Assinatura ocorreu na manhã desta sexta-feira, 22, no Mamm. Outras nove entidades assinam a carta. (Foto: Twin Alvarenga)

Dando mais um passo em prol do desenvolvimento econômico da Zona da Mata mineira, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) assinou uma Portaria conjunta e uma Carta de Intenções com a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) que oficializaram, na manhã desta sexta-feira (22), a criação do Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata). A solenidade, que contou com a presença de outras nove entidades signatárias, reforçou o comprometimento destas em elaborar e desenvolver ações estratégicas para fomentar o crescimento sustentável e inovador na região.

Reconhecendo o espírito executor da iniciativa, o reitor Marcus David destacou a importância do Grupo enquanto instrumento da instituição no cumprimento de seu propósito enquanto produtora de saberes. “A Universidade tem uma missão fundamental nas regiões onde está inserida, sendo que esta pode assumir duas dimensões. Uma delas é na área de desenvolvimento social, onde procuramos corrigir injustiças sociais, um trabalho que nos preocupa muito. Mas além desse papel, a Universidade também deve atuar e contribuir com o processo de desenvolvimento econômico. Para que a UFJF consiga cumprir essas missões, ela deve ter clareza de que precisa agir em parceria”, afirmou.

" Universidade também deve atuar e contribuir com o processo de desenvolvimento econômico", destacou Marcus David (Foto: Twin Alvarenga)

” Universidade também deve atuar e contribuir com o processo de desenvolvimento econômico”, destacou Marcus David (Foto: Twin Alvarenga)

O reitor lembrou que no início da semana foi assinada uma Portaria com a Embrapa para o desenvolvimento de pesquisas em conjunto, além de compartilhamento de espaços e laboratórios. “Hoje, estamos encerrando com mais esse gesto fundamental de aproximação, para que nós possamos continuar cumprindo esse papel”, reafirmou.

Na avaliação do prefeito Bruno Siqueira, a importância do Grupo consiste na articulação convergente das associações e organismos envolvidos. “Verificamos que essas entidades ficam desconexas, discutindo sobre a nossa região e tentando chegar no mesmo ponto. Às vezes, por falta de informação, ficam divergindo em relação aos atos, pois não estão dialogando e aprimorando seus conhecimentos, de forma a seguir numa mesma linha em relação ao desenvolvimento da região. A Universidade e a PJF iniciaram esse processo, que agora não é mais nosso, é de todos que estão aqui envolvidos. Será uma grande oportunidade”, garante.

Novos caminhos

O reitor também afirmou estar otimista diante das articulações possibilitadas pelo Grupo. “Nós podemos fazer muito pelo desenvolvimento, desde já, possibilitando que toda a competência científica e tecnológica e todo o conhecimento que temos instalado em instituições como a Universidade, a Embrapa e o IF Sudeste, possam, de alguma forma, se tornar acessíveis ao  setor empresarial. O trabalho se dará em uma lógica bastante objetiva e proativa, que nos indica uma perspectiva muito boa para um futuro próximo”, afirma.

Para o diretor de Inovação da UFJF e representante da instituição no GDI-Mata, Ignacio Delgado, esse movimento vem reforçar a ideia de que a competitividade, hoje, está associada à inovação. “O Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) opera respondendo demandas emergentes da própria instituição e empresas que não estão na nossa região. Com o Grupo, pretendemos criar mecanismos para estimular essa aproximação local, por meio de projetos, convênios e contratos; e, ao mesmo tempo, mobilizar nossa base empresarial para outra perspectiva de desenvolvimento, centrada na inovação”, diz.

A iniciativa, oriunda de uma articulação iniciada no último mês, é aberta à participação e colaboração de outros organismos e entidades empenhados no desenvolvimento regional. Seu objetivo é a revitalização da economia da Zona da Mata mineira, por meio da cooperação das instituições de ensino e pesquisa com o poder público, entidades e setores empresariais, visando à elevação da capacidade e da disposição das empresas da região para inovar. Com isso, o Grupo espera favorecer o desenvolvimento sustentável e o bem estar social.

Confira a carta de intenções na íntegra

Veja o conteúdo da portaria

Também assinaram a Carta como signatários a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Zona da Mata); a Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACE/JF); a Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora (CDL/JF); o Centro Industrial de Juiz de Fora (CDI/JF); a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg Zona da Mata); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Zona da Mata); o Sindicato do Comércio de Juiz de Fora (Sindicomércio/JF) e a Liga das Empresas Juniores da UFJF.

UFJF oficializa criação do GDIMata

Universidade Federal de Juiz de Fora, poder público e comunidade empresarial oficializaram nesta sexta feita, 22, a criação do Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDIMata). O objetivo do GDIMata é a revitalização da economia da Zona da Mata Mineira, por meio da cooperação das instituições de ensino e pesquisa com o poder público, entidades e setores empresariais.

Outras informações: (32) 2102-3435 – Ramal 204 (Setor de Comunicação e Marketing do Critt/UFJF)