Fechar menu lateral

Plano de Ensino

Disciplina: TUR050 - PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES CULTURAIS NO TURISMO

Créditos: 4

Departamento: DEPTO DE TURISMO / ICH

Visão socioantropológica do turismo. Mito, rito, imaginário e representação social no turismo. Etnocentrismo, identidade, relativismo, heterogeneidade e alteridade. Relações e interações entre os diferentes sujeitos do processo turístico: turistas, hóspedes, viajantes, anfitriões, hospedeiros e nativos. A viagem antropológica. O exercício de exotizar o familiar e familiarizar o exótico. O exótico e o familiar como atrativo turístico. A construção de narrativas e imagens turísticas: tradição, invenção da tradição, memória, autenticidade e diversidade. O ponto de vista de nativo e o olhar do turista. Práticas turísticas contemporâneas.
1. CULTURA E TURISMO
1.1. Uma discussão socioantropológica do conceito de cultura;
1.2. Uma visão socioantropológica do turismo.
2. VISITANTES E ANFITRIÕES
2.1. Os sujeitos do processo turístico;
2.2. O ponto de vista do nativo;
2.3. O olhar do turista;
2.4. Etnocentrismo, identidade, relativismo, heterogeneidade e alteridade.
3. MITO, RITO E IMAGINÁRIO NO TURISMO
3.1. O mito e o rito no turismo;
3.2. O imaginário e as representações culturais no turismo;
3.3. A construção de representações pelo e para o turismo;
3.4. A construção simbólica ou social do atrativo turístico;
3.5. A tradição, a invenção da tradição, a memória e a autenticidade pelo/no turismo;
3.6. Narrativas, representações verbais e folhetos turísticos;
3.7. Cultura material, suvenir e outras mensagens codificadas;
3.8. Postais e fotografias.
4. A VIAGEM
4.1. A viagem antropológica;
4.2. Familiarizar o exótico e exotizar o familiar;
4.3. O exótico como atrativo;
4.4. O familiar como atrativo;
5. PRATICAS TURÍSTICAS CONTEMPORÂNEAS.
BARRETTO, M. Turismo y cultura. Relaciones, contradicciones y expectativas. PASOS, 2007.
BURNS, P. Turismo e antropologia: uma introdução. São Paulo: Chronos, 2002.
SANTANA-TALAVERA, A. Antropologia do turismo. Analogias, encontros e relações. São Paulo: Aleph, 2009.
BANDUCCI JR., A.; BARRETTO, M. (orgs.) Turismo e Identidade local: uma visão antropológica. Campinas, São Paulo: Papirus, 2001.
BARRETTO, M. O imprescindível aporte das ciências sociais para o planejamento e a compreensão do turismo. Horizontes Antropológicos. 2003.
_______. Relações entre visitantes e visitados: um retrospecto dos estudos sócio-antropológicos. Revista Turismo em Análise. v.15, n.2, p.133-149, 2004.
CLIFFORD, J. Culturas viajantes. In: A. A. Arantes (org.), O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000.
ESTUDIOS Y PERSPECTIVAS EN TURISMO. Antropología y Turismo en Brasil, v. 11, n. 1 y 2, 2002. Número especial.
GRABURN, N. et all.(orgs.). Turismo e Antropologia: novas abordagens. Campinas: Papirus, 2009.
GRÜNEWALD, R. A. Turismo e etnicidade. Horizontes Antropológicos, 2003.
HOBSBAWM, E.; RANGER, T. (orgs.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.
LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: 1994.
MACCANNELL, D. El Turista. Una nueva teoria de la classe ociosa. Barcelona: Melusina, 2003.
OLIVEIRA, G. C.; FROSSARD, M. S. A sociedade do espetáculo e o ato de fotografar. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 2017.
PINTO, R. Rito, cambio cultural y la naturaleza cíclica del turismo. Estudios y Perspectivas en Turismo, 2011.
SERRANO, C; BRUHNS, H. T.; LUCHIARI, M. T. (Org.). Olhares contemporâneos sobre o turismo. Campinas: Papirus.
SMITH, V. (Org.) Anfitriones e invitados: la antropologia del turismo. Madrid: Endymion, 1992.
URRY, J. O Olhar do turista: lazer e viagem nas sociedades contemporâneas. 3ª ed. São Paulo: Studio Nobel, SESC, 2001.