A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) realizará, por meio do Programa de Especialização e Residência Docente e do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), entre os dias 3 e 4 de novembro, o Seminário Formação Docente e Escolas em Tempo de Pandemia: Desafios e Potencialidades. A  proposta é discutir os significados da instituição escolar e de ser docente no cenário atual.

“O grande desafio é pensar a formação docente continuada em tempo de pandemia. Pensar isso no momento em que a riqueza de vivenciar o cotidiano na escola tem que ser substituída por um outro tipo de fazer docente a partir do ensino remoto emergencial”, aponta o coordenador da Residência Docente, Anderson Ferrari.

O evento faz parte de uma disciplina com carga horária de 80 horas. Segundo o coordenador, a disciplina foi transformada em quatro seminários com 20 horas cada. “A ideia é que os quatro seminários dialoguem entre si. Vamos trabalhar escola, currículo, temas para a formação docente e encerramos com reflexões sobre o que foi feito ao longo do programa.” Os próximos eventos abordarão: Formação docente, saberes e currículos: investimos nos sujeitos; Formação docente, resistências e enfrentamentos: debates temáticos; e Formação docente e a UFJF: reflexões e problematizações, e estão previstos para 2021.

Para a coordenadora das Licenciaturas e coordenadora institucional do PIbid/UFJF, Angélica Cosenza, o ensino remoto surge como uma possibilidade temporária de enfrentamento da pandemia.“É importante problematizar a educação em tempos de pandemia. Como educadores, formadores de professores e professoras, temos de pensar no valor da presencialidade, na importância do cotidiano escolar presencial e das subjetividades que emergem desse cenário. É importante reinventar a escola para que ela possa produzir uma educabilidade possível neste momento.”

Programação

O seminário terá início no dia 3, às 8h, com a aula inaugural “A crise na educação e a experiência escolar: reflexões em face da pandemia”, ministrada pelo professor Universidade de São Paulo (USP), José Sérgio Fonseca de Carvalho. Além disso, o primeiro dia conta com leituras de textos de alunos pibidianos e com a participação da professora titular do Colégio de Aplicação João XXIII, Vânia Fernandes, e da professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Carina Martins, discutindo o tema “Escolas, Memórias e Sujeitos”.

No dia 4, o evento tem início também às 8h, com a participação das professoras e supervisoras do Pibid do Colégio de Aplicação João XXIII, Carmem Rita e Elza Nogueira; da  professora da Escola Municipal José Calil Ahouagi, Priscila Fernandes Santanna; e da  professora da Escola Estadual Marechal Mascarenhas de Moraes,  Raquel Carvalho Gravina de Almeida, abordando as experiências de formação na escola. A partir das 18h, a professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Bethânia Medeiros, e o professor do Departamento de Matemática da UFJF, Marco Antônio Escher, discutem o tema “Formação docente, pandemia e as tecnologias: desafios e potencialidades”.

Os programas

Criada pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd) da UFJF, a Residência Docente teve início em 1º de abril de 2019. A dinâmica das atividades permitem uma articulação entre professores de escola básica, como o Colégio de Aplicação João XXIII, e professores formadores. O Pibid é um programa governamental vinculado à Pró-reitoria de Graduação da UFJF e estimula os estudantes a se capacitarem como educadores. Atualmente, o projeto conta com a participação de 30 professores das redes de ensino federal, estadual e municipal de Juiz de Fora. A iniciativa foi concebida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em conjunto com o Ministério da Educação (MEC). 

Outras informações: (32) Pró-reitoria de Graduação UFJF